Maceió reúne lideranças sociais para o lançamento do Prêmio ODM Brasil

"Esses encontros são extremamente importantes porque servem para rebobinar as nossas esperanças. É necessário criar mais momentos como este". A declaração é da diretora escolar Cleilda Maria Motta sobre o seminário de lançamento da 4ª Edição do Prêmio ODM Brasil em Maceió (AL), realizado nesta quinta-feira (22) pelo Programa das Nações Unidas pelo Desenvolvimento (PNUD), pela Presidência da República e pelo Movimento Nós Podemos.

O evento reuniu mais de 200 lideranças sociais. Segundo o repesentante da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jerri Coelho, os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio são a síntese de tudo aquilo que o governo federal quer fazer em termos de responsabilidade social para construir um país mais justo e mais solidário. "A grande transformação que buscamos é melhorar a vida das pessoas e os ODM tratam disso. Temos feito muito, mas existem desafios que ainda têm que ser enfrentados."

O que cada um pode fazer para melhorar a vida das pessoas
A coordenadora do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade, Maria Aparecida Zago Udenal, também destacou a importância da sociedade civil para o alcance das metas. "Quando falamos de cidadania e de solidariedade falamos de vida e de seres humanos que esperam ser acolhidos e amados. Quero conclamar todos a olhar os ODM e ver o que cada um pode fazer para melhorar a vida das pessoas. São coisas simples e precisamos fazer mais. O nosso movimento é "porteira aberta", aceita todos que querem doar um pouco de seu tempo e da sua energia para o bem de outras pessoas", ressaltou.

A representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Andrea Bosi, falou sobre a municipalização dos ODM e destacou a importância da mobilização de mais e mais pessoas em torno de uma causa tão importante, que trata da melhoria das condições de vida das pessoas.

"Essa é uma iniciativa não só dos governos, mas de toda a sociedade. Vale lembrar que os ODM surgiram de um acordo multilateral entre 191 países, portanto, não há um líder isolado". No caso brasileiro, lembrou Coelho, "o protagonismo da sociedade é bastante forte e isso é muito importante para rompermos com o modelo de relacionamento vertical entre estado e sociedade, ressaltou.

Luta conjunta
Representando o governo de estado, a secretária-adjunta de Assistência Social, Juliana Vergett, reafirmou o compromisso do governador Teotônio Vilela com o trabalho integrado para alcançar as metas. "Juntos somos fortes, essa é uma luta conjunta e precisamos fortalecer essa engrenagem para que possamos construir uma grande rede para trazer mais dignidade e cidadania para todos", afirmou a secretária.

O seminário reuniu mais de 200 lideranças e autoridades do estado e do município, entre eles, o secretário de Estado da Cultura, Oswaldo Viegas; a secretária-adjunta de estado do Planejamento, Poliana Santana; e o secretário municipal de Educação, Thomaz Beltrão.

Também estiveram presentes o Padre Walfran, representando a Arquidiocese de Maceió, e Sandra Lyra, delegada do Ministério de Desenvolvimento Agrário em Alagoas. Os superintendes do Banco do Nordeste, José Expedito Neiva Santos; do Banco do Brasil, Fernando Rufino ( em exercício); e da Caixa Econômica Federal, Hérbert Buenos Aires de Carvalho, além de vários outros gestores federais, também estiveram no evento.

(Fontes: Secretaria-geral da Presidência da República e Alagoas 24 horas)

Leia também:
> Prêmio ODM Brasil é lançado para incentivar prefeituras


 

Agenda